Novidades

quinta-feira, 11 de março de 2010

Somente o Amor Pode Curar

Por Pastor Eliy Barbosa

11 de março de 2010

Olhei para trás, mas só conseguia ver Segredo. Havia algo de errado com ela, que ia além da minha implicância. Seus olhos angustiados e os passos pesados revelavam um coração que estava sendo esmagado dentro do peito...

Deveria me aproximar? As outras ovelhas estavam muito preocupadas com seus próprios temores para perceberem o que acontecia com as demais. Era uma procissão silenciosa e triste. As próprias amigas de Segredo se afastaram e a deixaram por conta própria. Lentamente me aproximei... O que deveria falar? Nada. Às vezes o silêncio é um grande conforto.

Segredo continuava cabisbaixo... Parecia carregar uma dor mais velha do que ela... Trevas mudas envolviam sua alma... Mas para mim elas faziam um barulho enorme, inquietante, incômodo...

- Muitas vezes existe uma distância eterna entre dois corações...

- Ah!?

Quando ainda procurava encontrar a minha própria voz, a voz triste de Segredo me pegou de surpresa.

- Muitas vezes existe uma distância eterna entre dois co-rações... Nos conhecemos na infância. Ainda me lembro de seus primeiros passos desajeitados. De sua dificuldade em pronunciar certas palavras. Daquele sorriso gostoso...
Segredo estava falando de alguém que havia amado. Não a detive, apenas fiquei escutando, deixando que Segredo compartilhasse de suas emoções:

- Fiquei apaixonada por aquela criaturinha. Foram tempos incríveis, pois passávamos a maior parte dos dias juntos. Nestes dias descobri que a vida com ele seria muito agradável.
Mas algum tempo depois ele foi embora. O rebanho em que vivíamos foi dividido. Separados, somente algumas ovelhas mais velhas tinham livre acesso, pois eram usadas para amamentar as novas.
E foi assim que mantivemos contato. Nossas mães estavam incluídas no grupo de ovelhas que amamentavam: sua mãe me contava tudo a seu respeito e minha mãe lhe contava tudo sobre mim.


Conhecia cada detalhe de sua vida. E não somente imaginava, mas vivia cada situação. Era como se estivéssemos juntos em todos os momentos. Conhecia suas esperanças e desilusões... E sonhava com o dia em que estaríamos definitivamente juntos.
Mesmo tendo uma relação tão profunda, depois que ele foi embora, nos encontramos apenas seis vezes. Mas nos conhecíamos muito para simplesmente nos ajustarmos. Ele sempre teve uma vida intensa. Uma insaciável fome de viver. E no caos de sua vida eu não possuía exatamente o espaço que queria.
‘Você é minha melhor amiga’; ‘Você é muito importante para mim’; ‘Você é como uma irmã’, dizia ele. Isto me matava! Trocaria tudo para ser apenas seu amor.


Trago ainda as marcas da tristeza, da solidão, das noites de choro... Mas não importava o que ele fazia ou dizia, eu sempre o perdoava... Mesmo ignorado, meu amor era forte demais para ser abalado.
Até que um dia ele apareceu... Foi uma surpresa para mim. Continuava lindo como sempre, mas havia um brilho diferente em seu olhar. Sua mãe já havia me contado que ele estava cansado de suas ‘aventuras’.
As palavras que me disse naquele dia passaram a fazer parte de mim. À noite quando fecho os olhos posso ainda ouvi-las fortes em meu coração:
‘Querida... Eu já estive aqui... Neste mesmo lugar... E nunca consegui esquecer como foi bom... Estive tão distante... Por caminhos tortuosos... Mas agora eu voltei... Não encontrei em nenhum outro lugar o que procurava... Amor, compreensão, paz... E tudo isto aqui estava, por todo esse tempo... Em você... ’.
Foi um dia mágico. Senti que finalmente meus sonhos se tornariam realidade... Se a felicidade fosse uma pessoa, essa pessoa seria eu!
Marcamos um encontro para próxima semana... Porém este encontro nunca aconteceu... Naquela noite ele morreu...
Engoli um seco... Uma forte mão apertou meu coração... O ar se tornou pesado... Meus olhos doíam... Quantos segredos e sofrimentos desconhecidos havia dentro deste coração? Doces lembranças e amargas recordações...

O que poderia dizer para ela? Como poderia alcançar seu coração com consolo? O tempo não poderia voltar atrás. Como fazer para ajudá-la a superar e seguir adiante? Será que eu...

- Você parece muito triste minha querida...

Naquele momento frágil o Pastor nos encontrou... Como Ele havia nos notado em meio às ovelhas? Será que Ele era capaz de ouvir cada ovelha apavorada precisando desesperadamente de uma palavra de orientação? Antes que tivesse a resposta, Ele tomou Segredo em Seus braços e continuou andando...

- Não precisa ter vergonha de chorar, pois estou aqui para te consolar... Não adianta tentar disfarçar, pois os seus problemas Eu vejo em seu olhar... Não precisa pensar que esta dor não vai mais passar... Pois o meu amor vai te amparar!
A Sua voz era o Paraíso. Ele falava como quem conhece uma vida... Ele a segurava como quem segura uma filha... Segredo encostou a cabeça em Seu peito e, sem qualquer constrangimento, deixou as lágrimas correrem...

Seu choro não era de desespero... Nem de dor... Era o choro de quem é consolada e amada... Estava descobrindo que uma ardente paixão só é esquecida com um eterno amor... Algo me dizia que a partir deste dia, sofrimento, tristeza e dor seriam apenas ecos para Segredo. Ecos que jamais retornarão.

“Como as lágrimas tem chegado fácil aos meus olhos...” Tentei encontrar o caminho através de uma névoa de lágrimas que se formava diante de meus olhos. Quantas de nós possui coragem de revelar nossa dor ou o que o coração procura? Corações sensíveis, abertos, que confiam, geralmente são mais fáceis de ser partidos. Quem não teme ser ferido ou ter sua delicada alma atropelada pela insensibilidade? E como achamos que é mais seguro esconder os sentimentos das palavras! Facilmente aprendi que deveria ficar perto do Pastor, pois só ao Seu lado poderia me sentir valorizada, respeitada.

Na escuridão da noite não era possível saber onde estávamos. “É um esforço inútil continuar andando na escuridão”. Mas para aquele que sabe para onde olhar, o Pastor está sempre perto, mesmo nas mais densas trevas. E eu o seguiria, embora não pudesse ver o caminho. Somente Ele poderia sustentar o nosso interior quando todo o resto desaba, e fazer que mesmo no sofrimento o amor nos encontre. (...)

Naquela noite tive um sonho estranho, uma mistura de tudo quanto vivi nestes últimos dias. No sonho eu tentava consolar Segredo lhe dizendo: Há muitas coisas que só o sofrimento pode nos ensinar. Quando de repente o Pastor apareceu, tomou Segredo em Seus braços e disse: Mas todas as coisas somente o amor pode curar!



Trecho do livro "A Voz da Ovelha" de Pastor Eliy Barbosa  - Igreja Cristã Plenitude

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Download de Livros

Eliy Barbosa em

Para Saber +

Igreja Plenitude do Poder de Deus

Igreja Plenitude do Poder de Deus
Ministério Pastor Eliy Barbosa