Novidades

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Apocalipse O Noivo Ainda Te Ama!

Por Pastor Eliy Barbosa

De João,

Para a Noiva do Cordeiro Digno de Deus.

Eu estava adorando o Senhor no seu dia, quando me entreguei totalmente ao Espírito Santo buscando nEle o meu conforto e a minha proteção. Foi então que o Espírito de Cristo me dominou, me arrebatando e tomando conta de mim. Talvez nunca conseguiria entender essa revelação se não estivesse na situação de prisioneiro e de abandono em Patmos. Essas revelações vieram somente em minha hora de calamidade, isolamento e lutas.

Em meio à essa hora sombria, a luz do Espírito Santo veio até mim. Subitamente ouvi uma voz tão poderosa que agitava o ar. Seu timbre era parecido com uma trombeta e me deixou em alerta, me arrebatando para um estado de prontidão. Mas era um som envolto em muita autoridade e alegria.

- “Tenho um chamado para você: alerte a minha Noiva antes que seja tarde demais. Avise minha Noiva em Éfeso, Esmirna, Pér­gamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia. Mande para Ela minhas cartas de amor.”

Eu sabia de quem era aquela voz, mas me voltei para ver Aquele que falava comigo. Uma luz intensa como o sol surgiu dian­te dos meus olhos, mesmo assim consegui ver sete candelabros de ouro. Era lindo. Um grande castiçal de sete braços a partir da haste central, com três de um lado e três de outro. Ele estava maravilhosamente enfeitado com detalhes que lembravam flores de amendoeira.

Entre os castiçais havia um vulto em meio a todo aquele brilho intenso. A princípio era apenas uma imagem esculpida na luz, a figura de um homem. Logo vi que era alguém semelhante ao Filho do Homem, alguém que se parecia com Jesus.

Eu conheci pessoal­mente Jesus como o Filho do Homem. Mas agora eu via Jesus como nunca O tinha visto. Os meus olhos estavam vendo o Cristo em toda Sua glória, o Noivo em toda a sua exuberância. Ele estava vestido de forma digna e honrosa, com um manto que ia até aos seus pés. E tinha uma faixa de ouro em volta do peito.

O seu rosto tinha o esplendor do sol em toda a sua força. Brilhava como o sol ao meio-dia em um dia sem nuvens. Nele estava estampada a glória de Deus, a grandeza da santidade e o brilho da justiça.

Era uma visão tão tocante que cai aos seus pés, como mor­to. Porém Ele pôs a Sua mão direita sobre de mim Reconheci o seu toque. Eu mesmo já havia tocado Nele com as minhas próprias mãos.

- “Não tenha medo...”

Foram suas primeiras palavras. E ali, aos seus pés, alguma coisa começou a acontecer. O temor que havia me jogado ao chão era o mesmo que me esvazia e me purificava do meu próprio “eu”. Eu pensava que conhecia Jesus! O segui durante três anos, andando e vivendo com Ele. Me assentava ao Seu lado na mesa durante as refeições. Me tornei o seu amigo mais íntimo.

Mas agora eu não conseguia sequer erguer os meus olhos para Ele. Sabia que o “eu” estava morrendo, que a natureza humana estava cessando e a gló­ria verdadeira estava começando a se revelar.

- “Não tenha medo, Sou Eu! Embora eu seja o Primeiro e o Último. Primeiro por criação, último por retribuição. Primeiro, por­que antes de mim nenhum Deus se formara; último, porque após mim não haverá outro. Primeiro, porque todas as coisas procedem de mim; último porque todas as coisas são para mim; de mim procede o começo, até mim chega o fim. Primeiro, porque sou a causa da origem; último, porque sou o Juiz e o fim.”

O som de Sua voz e o toque de Sua mão começou a fazer desaparecer o medo do meu corpo e da minha alma. Agora final­mente comecei a sentir segurança. Senti que era eternamente Dele, pois Ele colocou a Sua mão em mim! Não quero perder outro dia em Patmos, isolado, sem companhia, sem familiares ou amigos, sentido que até mesmo Deus está a um milhão de quilômetros daqui. Quero sentir Sua mão amorosa todo dia. Desejo sentir o seu toque toda noite...

- “Não tenha medo, ainda Sou o mesmo! Embora Eu seja o Vivente que participou do destino da minha Noiva por amor a ela e morreu; Eu Sou o Vivente que possui a Vida em si mesmo, em essência e existência. E agora estou vivo pelos séculos dos séculos, para todo sempre, amém. Se Eu Vivo, você também vi­verá para todo sempre.

Enquanto sentia o Seu toque, olhava para os Seus pés. Eles brilhavam como o bronze fino quando é fundido na fornalha e depois polido. Sua voz tinha a majestade do rugido do mar, como as ondas na praia. E me invadiam com doce ternura.

- “Não tenha medo, Eu tenho as chaves! Tenho autoridade sobre a morte e o inferno. Eu tenho as chaves! Não há mais o que temer. Eu tenho as chaves! E te conheço e me interesso profunda­mente por você.”

Levantei os meus olhos e vi que o Seu cabelo era banco como a lã e tão branco quanto a neve. Ele era semelhante ao Ancião de Dias, Aquele que sempre existiu, cujo poder é eterno e cujo Reino não tem fim.

Então os Seus olhos eu pude ver. Eram olhos feitos línguas de fogos, como chamas lambendo o ar. Chamas que não causavam dor. Chamas que não causavam destruição. Eram chamas ar­dentes de amor.

- “Não tenha medo e não se deixe perturbar pelo medo. Escreva tudo o que você está vendo, a revelação do Noivo glorificado, e o que Eu irei lhe mostrar – a situação que se encontra a Noiva. Pois isto diz respeito tanto ao tempo presente como ao futuro.

Notei que de Sua boca saía uma espada de dois gumes afia­díssimos, que ficava no lugar de sua língua. Então Ele me mostrou em Sua mão direita o que parecia sete estrelas brilhantes.

- “Os sete candelabros são minhas igrejas e as sete estrelas são os seus anjos. Eles estão na minha mão pois estão inteiramente sujeitos para serem usados em Meu trabalho. Além de Salvador, Eu sou o Senhor e o Noivo da Igreja. Eu estou presente, protejo e oriento a minha Igreja.”

Tornei a fitar os Seus olhos. Eram realmente chamas de uma paixão. Queimavam com desejo intenso, devastador e impetuoso por causa de Sua Noiva. Nunca vi nada que fosse tão meigo, quanto à presença daquele olhar enquanto minha vida estava prostrada aos teus pés.

- “Amo minha Noiva. Eu mesmo a chamei, a escolhi e a ungi. Escreva para ela, para que saiba que Eu vim para purificá-la com amor. Revele ao meu povo que no coração do Pai existe uma paixão devoradora e uma dor agonizante de seu desejo em abraçar os filhos. Conte para minha Igreja sobre os perigos que a ameaçam de dentro e de fora. Não tenha medo, seja forte e corajoso. Eu serei com a sua boca.”

Agora, se você Noiva escolhida, ler estas cartas de amor, receberá do Senhor uma benção especial: poderá provar em si mesma toda doçura e paixão do seu Deus. O seu Noivo Jesus quer que você seja feliz, por isso ouça, guarde, faça e aceite as coisas que nelas estão escritas. Se você obedecer ao que seu Noivo lhe diz, será muita abençoada. Pois o tempo está próximo, e logo irão acontecer todas as coisas anunciadas neste livro.


Trecho do livro "As Cartas de Amor de Jesus" de Pastor Eliy Barbosa - Igreja Cristã Plenitude

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Download de Livros

Eliy Barbosa em

Para Saber +

Igreja Plenitude do Poder de Deus

Igreja Plenitude do Poder de Deus
Ministério Pastor Eliy Barbosa