Novidades

segunda-feira, 17 de maio de 2010

I Coríntios 11.2 Volte Para os Braços do Noivo

Por Pastor Eliy Barbosa

“Tenho uma profunda preocupação por vocês, igual àquela que o próprio Deus tem - preocupação de que o amor de vocês seja somente por Cristo, tal como uma moça pura reserva o seu amor para um homem apenas, aquele que será o seu marido.” (I Coríntios 11.2)

De João,

Para a Noiva do Cordeiro Digno de Deus.

Que a Graça seja dada a você por Aquele que é, que era e que há de vir. Que a Paz dAquele que desde o princípio se revelou como o único “Eu Sou o que Sou”, enquanto todas as demais coisas vêm a ser e deixam de ser, te cubra. E que a Alegria da múltipla manifestação singular do Espírito Santo venha sobre você.

Essa Graça é o que lhe deseja o Seu Noivo Jesus Cristo, pois Ele é a Fiel Testemunha. É a Testemunha fiel, pois o testemunho dado por Ele mesmo é fiel e verdadeiro. É a Testemunha fiel, pois testemunhou e confirmou o seu testemunho com a sua própria morte. É a Testemunha fiel, pois revela fielmente toda a verdade a você.

Se você soubesse o quanto o Seu Noivo quer lhe dar a Paz... Para acabar com todos os seus medos Ele se tornou O Primogênito dentre os mortos. Ele deu a Sua Vida por você e se tornou O Primeiro Filho que foi ressuscitado dos mortos para não morrer mais.

Agora seu Noivo é O Soberano dos reis da terra. O Príncipe que governa os reis do mundo inteiro. Se alegre, o seu Noivo é muitíssimo mais importante do que qualquer outro rei ou governante em toda a terra.

E acima de tudo o Seu Noivo te ama! Para te tornar digna deste Amor, Ele resolveu te libertar, lavar e livrar de todos os seus pecados por meio do Seu próprio sangue. Se alegre com Ele! Dedique seu olhar, seu desejo e sua voz a Ele que te ama sempre ao ponto de derramar o Seu sangue por você.

Igreja amada, foi Jesus que nos reuniu no Seu Reino e nos fez sacerdotes de Deus, o Seu Pai. Então permita que somente a Ele, Jesus Cristo, e não a você, seja dada toda glória, todo poder e todo o domínio pelos séculos dos séculos!

Que a glória e o poder sejam dEle para todo o sempre! A Ele seja dada glória eterna! Que seja reconhecido o Seu poder! Ele reina para sempre! Amém.

Olhe! Você pode ver? Seu Noivo vem chegando, rodeado de nuvens, revestido de esplendor. Você já consegue ver? Ele vem ao Seu encontro com uma beleza indescritível. Você ainda não consegue ver? Mas todo olho do mundo o verá. Todos, sem exceção, o verão: até mesmo aqueles que viveram no passado.

Então todos os povos e todas as tribos da terra quando O virem se lamentarão por causa dEle. Quanta dor, quanta tristeza e quanto terror sentirão diante da visão do Noivo. Por tudo o que Lhe fizeram, por tudo o que Lhe omitiram, por tudo o que Lhe negaram. Assim será! Certamente será assim! Sem dúvida nenhuma! Que assim seja!

Noiva do Cordeiro, quero me apresentar melhor. Eu sou João, o “amado João”. Sou irmão de Tiago e filho de Zebedeu. Sou aquele que inclinou a cabeça sobre o peito de Jesus na última ceia. Mas quando me encontrei com o Noivo glorificado eu era João, o banido, o exilado, o abandonado. Pois as palavras de Jesus se tornaram vivas em mim e para mim: “Vocês serão expulsos das sinagogas, e chegará o tempo em que qualquer um que os matar pensará que está fazendo a vontade de Deus. Eles vão fazer essas coisas porque não conhecem nem o Pai nem a mim”.

Eu fui arrastado de Éfeso aprisionado e levado para Roma. Por causa da Palavra de Deus e do Testemunho de Jesus. Eu cumpri o meu chamado e anunciei a mensagem de Deus que foi confir­mada e revelada por Jesus. Contei a todos tudo que sabia a respeito de Jesus Cristo, por isso o imperador romano me baniu para a pequena e desabitada ilha de Patmos – no mar Egeu. Sei que muitos estavam com o coração apreensivo por minha causa e chegaram a pensar: “Por que ele não pediu que o Senhor o livrasse desse sofrimento?” Não foi por falta de fé, pois conheci pessoalmente Aquele que disse: “Se vocês pediram ao Pai alguma coisa em meu nome, Ele lhes dará”. Mas como poderia não aceitar beber do cálice do nosso Senhor?

Agora posso afirmar: eu sou João, irmão e companheiro de vocês no mesmo sofrimento, na mesma aflição, na mesma tribula­ção. Eu estava na ilha chamada Patmos, um lugar de areia, pedras e trabalhos forçados. Juntamente com uns poucos prisioneiros maltrapilhos, eu também já estava contado com os que descem à cova. Estava em Patmos para morrer.

Mas mesmo sendo um dos primeiros apóstolos, também te­nho participado da perseverança que Jesus Cristo concede. Foi dEle que eu ouvi pessoalmente: “Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto cada dia para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira”. Somente isso me faz agüentar o sofrimento com paciência, pois sei que participarei do reino dEle!

Havia resolvido plantar em Patmos uma nova igreja, mesmo estando desligado da civilização. Não tinha nenhum irmão ou irmã, nenhum dos outros prisioneiros para me acompanhar. Mas se eu estava aqui para morrer, morreria como um sacrifício vivo ao Senhor. Eu seria inteiramente Dele e Ele seria inteiramente meu.



Trecho do livro "As Cartas de Amor de Jesus" de Pastor Eliy Barbosa - Igreja Cristã Plenitude

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Download de Livros

Eliy Barbosa em

Para Saber +

Igreja Plenitude do Poder de Deus

Igreja Plenitude do Poder de Deus
Ministério Pastor Eliy Barbosa